Em nota Movimento manifesta apoio à Luta pela Soberania Hídrica em Correntina- BA

Na ultima quinta (2), moradores do campo e da cidade da região de Rosário em Correntina, Bahia ocuparam as instalações da fazenda Igarashi e Curitiba, o ato vem em legitima defesa da população e denuncia a ação criminosa da fazenda que com seus projetos de irrigação estão secando os rios Carinhanha, Corrente e Grande. MPA manifesta seu apoio a luta da população de Correntina que não exitou em responder aos pedidos de socorro dos rios drenados pelo agronegócio. Confira o texto na íntegra:

Criminosos são os ladrões de água não os camponeses

Os Rios Carinhanha, Corrente e Grande tiveram seus pedidos de socorro atendido por camponeses, camponesas do Município do oeste baiano de Correntina no ultimo dia 2 de novembro, os projetos de irrigação da fazenda Igarashi e Curitiba estavam comprometendo brutalmente o curso e a vida do rio, com isso toda uma população não possui mais acesso a água. Num ato de denuncia ao agronegócio, e para evitarem uma tragédia anunciada do povo, a população da região do distrito de Rosário promoveram um ato de defesa de seu território, mostrando para a sociedade a face dos verdadeiros criminosos e ladrões de água que se materializa no agronegócio.

O Movimento dos Pequenos Agricultores – MPA vem a publico se solidarizar com a Luta pela defesa dos rios e da água em Correntina, é uma luta legitima em defesa da vida. Nos últimos dias nos deparamos uma avalanche de ataques midiáticos contra a população, tachados de invasores, ladrões, destruidores, queremos aqui perguntar para a mídia, quando que questionaram a estagnação do curso desses rios, pelos sistemas de irrigação das fazendas Igarashi e Curitiba? Quando escutaram a população local que já tinha acesso a água para beber? Quando presenciam os cultivos dos camponeses morrem por não ter água? De fato existem ladrões nessa história, mas não são os camponeses e camponesas, tão pouco os moradores das vilas, os ladrões dessa história saqueiam os rios, para produzir mercadorias, que não alimentam, os ladrões dessa história estão comprometendo rios e córregos que poderão jamais voltarem a seu estágio natural, os ladrões dessa história usam toda a água que deveria ser divida para uma população de milhares de pessoas, sim existe um crime nessa região, um crime contra um povo e contra o rio.

Presenciamos o povo agindo por direito, antes que os rios sequem e seja tarde demais, a população denunciou diretamente um modelo que exclui e destrói, que não alimenta, que não preserva, os verdadeiros produtores e produtoras de alimentos tiveram seus bens acaparados pelo agronegócio, e minimamente exigem respeito. O MPA denuncia a situação de insegurança que a população de Correntina que está sendo privada ao acesso à água para consumo e produção.

Reafirmando a soberania dos povos ao uso comum da natureza e de tudo que há nela e contra o monopólio da água pelo capital, que a luta em defesa da preservação dos povos e das águas siga firme.

Quem Alimenta O Brasil Exige Respeito                                                                                        10 de novembro de 2017

Movimento dos Pequenos Agricultores- MPA