Gosto de Morar em Canjerana

By outubro 30, 2017Artigo, Campesinato
Cabralea canjerana – Canjarana, canjerana, cajarana. Foto: Marcio Verdi, 2009/IFFSC

Cabralea canjerana – Canjarana, canjerana, cajarana. Foto: Marcio Verdi, 2009/IFFSC

Canjerana é nome de árvore nativa, da mata atlântica, conhecida por ser madeira muito durável, ter um cerne (parte interior do caule) muito resistente, usada para fazer parreirais, cercas, indústria de móveis e usos medicinais.Canjerana também é o nome de um lugar, um povoado, uma comunidade camponesa do interior do município de Canudos do Vale, no Vale do Rio Taquari, Rio Grande do Sul, em meio aos morros, íngreme e de acesso difícil.

Ao realizar o Mutirão da Esperança Camponesa neste município, coube-me participar de uma reunião na comunidade de Canjerana. Trinta pessoas presentes, maioria de meia idade, poucos jovens e poucos idosos, de origens étnicas variadas, predominando descendentes de imigrantes italianos. Semelhante a tantas.

Como costume nestas reuniões de comunidade durante o Mutirão – onde se debate e se fala dos problemas do País, da reforma da previdência, da privatização da energia, da saúde, das plantas medicinais, da necessidade de se organizar e lutar para garantir direitos ameaçados – inicia-se com a apresentação dos presentes.

Registro da Atividade. Foto: MPA

Registro da atividade. Foto: MPA

Aí aconteceu algo que me impressionou. Ao se apresentar, dizendo o nome, acrescentavam de forma espontânea: “gosto de morar em Canjerana”. Fazia tempo que não ouvia, no interior do Rio Grande, tão forte declaração de amor à sua comunidade camponesa.

Para o MPA, que afirma em alto e bom som que “o campo é um lugar muito bom para se viver”, a declaração de amor a Canjerana é uma demonstração de que a cultura de que “o interior é ruim, na cidade é que é bom”, pode estar mudando.

Além do amor à própria terra, extraí mais duas lições com o povo camponês de Canjerana:

– É hora do povo brasileiro demonstrar amor pelo Brasil, pois as elites não gostam de nossa Terra, tem a cabeça nos “estaites” e estão vendendo as riquezas da Nação para “dinheirudos” do estrangeiro. É hora de afirmar: “Gosto do Brasil e vou defender com unhas e dentes a Nação Brasileira e suas riquezas para o nosso próprio bem”.

– A “canjerana” é a árvore do cerne que não apodrece, que dura por centenas de anos. O campesinato Brasileiro resiste como o cerne de canjerana, apesar dos ataques do capitalismo, do agronegócio e da política das elites entreguistas que hoje governam o País. Assim como a comunidade de Canjerana gosta de seu lugar e lá resiste, os camponeses e camponesas brasileiros amam o Brasil e são o “cerne de canjerana” na resistência em defesa da Nação.

Atividade do Mutirão da Esperança Camponesa no município. Foto: MPA

Atividade do Mutirão da Esperança Camponesa no município. Foto: MPA

Na medicina popular, a canjerana é uma planta medicinal usada para recuperar pessoas com anemia e para baixar a febre. A Classe Camponesa do Brasil tem como tarefa histórica também ajudar a superar a “anemia” que atingiu a capacidade de organização e luta das classes populares e fazer baixar a “febre” de ódio contra os pobres que persiste nas mentes de alguns setores da sociedade brasileira.

Os donos do capital que estão destruindo a democracia e roubando as riquezas da Nação encontrarão pela frente um “cerne de canjerana” que resistirá e será vitorioso.

Por Frei Sérgio Antônio Görgen – frade franciscano, dirigente do MPA e autor do livro “Trincheiras da Resistência Camponesa”.