Foto: Ricardo Stuckert

Foto: Ricardo Stuckert

Durante Ato pela Democracia na cidade de Picos, Piauí, na tarde deste sábado, 20, o candidato à Presidência da República, Fernando Haddad, num momento de muita mística e resistência recebeu de forma emocionada das mãos de crianças camponesas uma cesta de alimentos saudáveis produzidos pelas famílias camponesas do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), além de uma coleção de livros organizada pelo Movimento e centenas de intelectuais intitulada “História Social do Campesinato”.

A ação das crianças emocionou os presentes, que juntos com milhões de outros brasileiros sonham com o Brasil Feliz de Novo, pois cada alimento naquela cesta foi produzido no sertão piauiense, fruto das políticas públicas de incentivo à produção e comercialização de alimento saudáveis implementadas nos governos de Lula e Dilma, entre elas podem ser citados o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e o Programa Água para Todos. Da mesma forma, a coletânea “História Social do Campesinato” é um dos elemento do empoderamento da tomada de consciência que o Campesinato teve neste último ciclo, e o MPA compreende ser fundamental durante essas eleições defender este legado histórico que se materializam esses livros e nos alimentos.

Para a camponesa e militante do MPA, Maria Kazé esses símbolos – os alimentos e os livros – “são uma síntese da nossa história de resistência e da nossa tarefa que também é histórica, produzir alimento saudáveis para o povo desse país”. E completa emocionada ao falar da realidade de seu povo:

– “Muita gente aqui sabe o gosto que tem uma água de cisterna, porque nós já dividimos com os burros, com as cabras e com os jumentos as águas dos barreiros e das cacimbas. Muita gente aqui sabe como é bom a sombra de uma casa do Programa Minha Casa Minha Vida, porque nós já morramos nas casas de taipa. Muita gente aqui sabe da importância de um banco de Universidade, porque nós já fomos chamados de analfabetos. Muita gente aqui sabe da importância de ser brasileiro de Luiz Inácio Lula da Silva, presidente desse país. Nós dizíamos aqui, o Piauí é o Estado menos fascista do Brasil porque foi onde Bolsonaro teve menos voto e pode ter certeza, que nós vamos aumentar os votos para Fernando Haddad e Manuela.”

A comitiva do presidenciável, Fernando Haddad, tem percorrido a região nordeste, antes de chegar no Piauí esteve no Ceará onde também foi recebido por uma multidão, vindas de diversas regiões em defesa da democracia e contra o fascismo, bem como demonstrar apoio aos candidato e ao projeto político que ele representa.

A data também foi marcada pelas centenas de milhares de pessoas, que nesta dia 20 de outubro, voltaram a ocupar as ruas de diversas cidades do Brasil contra a candidatura de extrema direita de Jair Bolsonaro.

 

Por Comunicação MPA