Reforma da Previdência provoca greve de fome em Brasília

Foto: MPA

Foto: MPA

Cinco trabalhadoras e dois trabalhadores estão em greve de fome há nove dias contra a proposta de reforma do governo Federal. No Rio de Janeiro, representantes de movimentos sociais e deputados estaduais também se manifestam.

Acontece nesta quinta-feira (14), às 12:30 horas, na sala Furna da Onça, no Palácio Tiradentes uma entrevista coletiva com deputados estaduais e representantes de movimentos sociais para abordar sobre a Reforma da Previdência, em curso na Câmara Federal, em Brasília.

Na oportunidade, as lideranças também darão visibilidade para a greve de fome que os sete integrantes do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), do Movimento das Mulheres Camponesas (MMC) e do Movimento dos Trabalhadores por Direitos (MTD) fazem há nove dias na capital federal contra a proposta de reforma apresentada pelo Governo Temer.

A medida dos trabalhadores objetiva sensibilizar os deputados federais para a negação do projeto de reforma apresentado pelo governo. Com a greve, eles também querem sensibilizar a população em geral argumentando que ficarão sem comer alguns dias para que, no futuro, milhares de brasileiros e brasileiras não passem fome, caso a reforma seja aprovada.

A aposentadoria para os trabalhadores rurais foi uma das principais conquistas na Constituição de 1988, que garante a permanência de muitas famílias no campo e contribui para circulação monetária local dinamizando a economia dos municípios pequenos.

Segundo os movimentos sociais, essa reforma atinge a todos os trabalhadores, mas principalmente os do campo, pois altera a aposentadoria rural, acabando com a condição de segurado especial e negando a condição de cidadão àqueles que são responsáveis pela produção da maior parte dos alimentos que consumimos.

Por Comunicação MPA