O Menu é Porto Alegre, o “Prato du Chef” é o Brasil – artigo de Maister da Silva

Rodrigo Maia esteve em Porto Alegre palestrando para empresários. Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Rodrigo Maia esteve em Porto Alegre palestrando para empresários. Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

O “Botafogo”, alcunha que a Odebrecht supostamente deu ao honorável Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, esteve em Porto Alegre nesta segunda-feira, 21, onde participou da reunião almoço Menu Porto Alegre, promovida pela Associação Comercial de Porto Alegre, palestrando sobre o “Brasil do Futuro”. Segundo a Odebrecht, no “Brasil do Passado”, “Botafogo” teria recebido, ao longo de três anos, cerca de 1 milhão em doações para campanhas eleitorais. Maia é presidente da Câmara e se diz leal ao governo Temer. Na verdade é leal ao capital financeiro internacional e seus interesses.

O “Brasil do Futuro”, que o presidenciável “Botafogo” defende é um Brasil conservador, subjugado à agenda da política neoliberal e as regras do mercado internacional. “Botafogo” teve sua carreira política sempre vinculada a grupos empresariais, defendendo os interesses dos mesmos. Sua alçada a Presidente da Câmara dos Deputados não foi uma passada de cavalo arreado, a qual ele como político inteligente que é simplesmente montou, como naquele momento assinalou o deputado Chico Alencar. “Botafogo” é engrenagem do golpe, sua relação umbilical com o setor financeiro o levou a adquirir o poder que tem e o credenciou a ser o arauto das antirreformas que o capital financeiro-industrial impôs ao Brasil, as reformas que o colocam como um porta-voz legítimo dos setores financeiro, industrial e comercial.

Sob sua gestão à frente da Câmara dos Deputados, “Botafogo” deu vida ao golpe. Com a desculpa esfarrapada de fidelidade ao governo Michel Temer, ele afastou as especulações de que se movimentava para dar um golpe e se tornar Presidente. Enquanto Temer defende-se diariamente das acusações e evidências de corrupção que o envolvem diretamente a si e sua família, “Botafogo” segue firme, fiel a quem lhe conferiu poder, trabalhando contra o povo no Parlamento, anistiando dívidas do setor empresarial e ruralista, colocando em votação leis conservadoras e ceifando direitos sociais e trabalhistas conquistados a anos, que nem os governos ditatoriais militares ousaram mexer. Apesar de tudo isso, como funcionário dedicado que é desdobra-se para em meio a toda essa agenda de maldades, encontrar tempo para prestação de contas ao patronato em reuniões como a de hoje no Palácio do Comércio.

O Menu é Porto Alegre onde Marchezan, o Prefeito Sumido, adota a mesma agenda destrutiva do Chef “Botafogo”, mas o prato do dia é você e seus direitos. Para constar, o evento é patrocinado pelo Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), banco público, cuja atual gestão deve julgar que todas essas pautas às quais Botafogo é vinculado direta ou indiretamente, merecem ser chamadas de desenvolvimento.

 

Por Maister Freitas da Silva – Militante do MPA