Mutirão da Esperança Camponesa retoma e fortalece o Trabalho de Base na Bahia

18425113_1299529080116328_548406173546011999_n

I Escola de Formação de Preparação do Mutirão da Esperança Camponesa no sudoeste baiano. Foto: MPA

Camponeses e camponesa do MPA na Bahia movidos pelo Mutirão da Esperança Camponesa, dão início as atividades com processo formativo de preparação ao trabalho de base na região Sudoeste da Bahia. Entre os objetivos e necessidades do Mutirão no Estado estão o processo de Trabalho de Base.

A atividade realizada entre os dias 8 a 11 de maio no Centro de Formação Deli Casali, em Vitória da Conquista, contou com a participação de 35 pessoas em sua maioria jovens que irão assumir os trabalhos nos municípios, trazendo para o debate temas como a Conjuntura Brasileira e a Repercussão na Vida do Camponeses e Camponesas.

O “Mutirão da Esperança Camponesa” que tem como mote “Quem Alimenta o Brasil Exige Respeito!”, faz parte da definição adotada pelo Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) a nível nacional, com base na difícil conjuntura de retirada de direitos da Classe Trabalhadora e a necessidade de fortalecer a Classe Camponesa no enfrentamento a essas injustiças.

18403365_1299529050116331_4074104204019217865_n

A atividade reuniu em sua maioria jovens camponeses. Foto: MPA

Para Rafaela Alves, da coordenação nacional do Movimento que contribui com os temas abordados, “a conjuntura atual do país exige dos movimentos um ágil processo de mobilização e de formação do povo para que compreenda a necessidade da luta e da resistência. Para tanto, se faz necessário a retomada do processo de preparação da militância para que possa atuar com muita clareza no Mutirão da Esperança Camponesa”.

Saiane Santos, da direção estadual do Movimento no Estado, destacou a importância de realizar o Mutirão para o MPA e também para as comunidades, de fazer o enfrentamento as injustiças e desigualdades no país e as lutas contra as Reformas do impostas pelos presidente não eleito, Michel Temer.

“O Mutirão é um processo de Trabalho de Base nas comunidades, faz parte da deliberação tomada pelo MPA a nível nacional, com base em razão da difícil conjuntura, pela perda de direitos da Classe Trabalhadora e a necessidade de fortalecimento da Classe Camponesa no enfrentamento a essas injustiças”, destaca a jovem camponesa do MPA, Suelen, que esteve participando da I Escola de Formação de Preparação do Mutirão da Esperança Camponesa no sudoeste baiano.

O Mutirão da Esperança Camponesa está sendo realizado em todo país num esforço coletivo, conjunto e solidário, buscando alcançar um objetivo comum. Busca reavivar a força da organização para defender os direitos dos pequenos agricultores diante da nova realidade que se criou no Brasil com a crise política e com a ameaças aos direitos conquistados ao logo dos anos. E para debater a produção de alimentos e um projeto para a agricultura e para o Brasil.

Por Comunicação MPA