Mutirão da Esperança Camponesa movimentar trabalhadores do campo e da cidade na Paraíba

Audiência Pública em Alagoa Nova-PB. Foto: MPA

Audiência Pública em Alagoa Nova-PB. Foto: MPA

Nestes dias em que a luta dos trabalhadores do campo e cidade tem se acirrado, o Mutirão da Esperança Camponesa tem ganhado forma na Paraíba. Para o MPA o Mutirão é mais que uma técnica de produção para os camponeses e camponesas. É uma expressão de solidariedade e confiança que surge nas situações mais difíceis da vida da comunidade camponesa.

Organizado pelos camponeses e camponesas do MPA no último dia 21 de maio realizou-se a primeira rodada de conversa em preparação do Mutirão da Esperança Camponesa que seguirá com a mesma metodologia nos 10 municípios onde o Movimento tem base organizada, dessa vez, foram contempladas as comunidades do Bacupari e Boa Esperança em Alagoa Nova.

“Na Paraíba, o pré-mutirão tem a finalidade de planejar junto com as comunidades a realização do Mutirão da Esperança Camponesa que acontecerá, no Estado, de julho a setembro e deve fazer um primeiro diagnóstico das nossas bases”, destaca Tiago Aquino, camponês e dirigente do MPA.

Pré-Mutirão na Paraíba. Foto: MPA

Pré-Mutirão na Paraíba. Foto: MPA

Ainda no dia 21 de maio, foi realizado a primeira Audiência Pública sobre doenças sexualmente transmissíveis e o avanço silencioso da sífilis, HIV e aids entre os mais jovens, e todos que ainda não despertaram para importância da prevenção, como melhor remédio para a vida. Segundo Tiago, “foi um momento riquíssimo que contou com a parceria entre o MPA e demais entidades parceiras”.

Na oportunidade a Audiência Pública reuniu vereadores do município, líderes comunitários, representantes da sociedade civil da cidade de Alagoa Nova e de Matinhas, bem como, camponeses e camponesas do MPA e do Levante Popular da Juventude.

O debate teve a colaboração de Mario Fernandes da Secretaria de Ação Social de Campina Grande, onde tem se dedicado as causas da diversidade humana e Ana Goreth representando os povos de terreiros e as profissionais do sexo. Ao final do evento, definiu-se pela construção de uma carta com as deliberações da audiência para ser encaminhado as autoridades locais com a pauta e reivindicações da sociedade para o combate e a prevenção das DST’s. O evento também foi marcada por atos em prol da Democracia e palavras de ordem de fora Temer e Diretas já.

Camponeses e camponesas do MPA. Foto: MPA

Camponeses e camponesas do MPA. Foto: MPA

Como parte da construção do Mutirão, camponeses e camponesas do MPA, junto com a professora Ana Lúcia (Lucinha), realizaram neste dia 23/05, o Primeiro Encontro com os alunos presidentes de turmas da Escola Estadual Monsenhor Jose Borges de Carvalho, como o objetivo dialogar com os estudantes sobre a organização da escola, as políticas públicas estudantis existentes e a importância do Grêmio Estudantil.

Por Comunicação MPA