MPA realiza primeiro Festival da Juventude Camponesa em Picos-PI

Foto: MPA

Foto: MPA

Entre os dias 14 e 16 de outubro de 2017, foi realizado no Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente CAIC, no bairro Parque de Exposição Picos-PI, o Primeiro Festival da Juventude Camponesa. A ação contou com a presença de jovens do campo e da cidade, de 15 munícipios do estado do Piauí.

A abertura iniciou com apresentação de uma peça teatral, sobre o massacre da Previdência Social, criada pelos os componentes da Caravana Nacional de Luta Camponesa do MPA “Clodomir de Morais”. Em seguida análise de conjuntura sobre a atual situação política no Brasil, a retirada de direitos dos camponeses e o golpe econômico, foi trabalhado por Josineide Costa dirigente do MPA e ainda na análise de conjuntura Isabel Silva, da direção do Levante Popular da Juventude, falou sobre o Plano Emergencial para o Brasil.

Foto: MPA

Foto: MPA

Pela tarde, foi trabalhado o papel da Juventude na organização do Campesinato, no MPA e seus desafios no Brasil atual, o tema foi trabalhado por Rafaela Alves do Coletivo Nacional de Juventude do MPA. O interesse por partes dos jovens, resultou em um debate proveitoso, onde cada um interagiu, com seu ponto de vista, como também teve muita dinâmica, tornando o tema mais atrativo para os jovens.

No segundo dia de formação, realizou-se oficinas de teatro, música, batucada, grafite, customização de chinelos, bonecos e plantas medicinais com a juventude. Que na oportunidade ainda aprenderam a construir peças de teatro, bonecos teatrais, remédios caseiros, chinelos, grafite, tocar instrumentos e compor músicas. As oficinas foram ministradas por pessoas capacitadas para cada uma delas, entre elas estão: Pedro Munhoz, cantor, compositor e trovador que trabalhou a oficina de música; Chagas Vale, artista, educador, trovador e cantor trabalhou a oficina de bonecos teatrais; Ted Rep, grafiteiro e cantor desenvolveu a oficina de grafites.

Foto: MPA

Foto: MPA

Chagas define “devemos trabalhar o teatro de bonecos como um instrumento de transformação, instrumento de luta, o boneco acima de tudo é um grande transmissor de conteúdo, é um ser vibrante, denunciador por natureza, político por essência é um ser transformador”.

No último dia do Primeiro Festival da Juventude Camponesa, pela manhã foi realizada uma marcha, com saída do bairro Parque de Exposição, concentrando no entroncamento das BRs 407 e 316, em seguida, os jovens marcharam pela avenida Senador Helvídio Nunes, rumo a Companhia Nacional de Abastecimento-CONAB, a marcha faz parte das ações do Dia Mundial pela Soberania Alimentar. Após a marcha retornou-se para o local do Festival onde foram apresento o resultado das oficinas, e pela tarde, realizou-se um ato de solidariedade com doação de sangue no Hemocentro da cidade, visita as crianças no Hospital Regional Justino Luz e ao Abrigo dos Idosos, Joaquim Monteiro de Carvalho.

Foto: MPA

Foto: MPA

Para Francisca Sousa, coordenadora do Coletivo de Juventude no PI fala da importâncias de realizar o festival, “entre os objetivos do festival estão o de organizar e fazer formação com essa juventude das comunidades e nos municípios, foi um momento importante porque tivemos a oportunidade de realizar um mapeamento desses jovens, bem como seus municípios e agora é dar sequência aos trabalhos com essa juventude, já que também buscamos a renovação dos quadros dirigente aqui no Estado, a ideia e que esses jovens sejam multiplicadores nos seus municípios. Avaliamos que o objetivo do festival foi cumprido e agora é dar sequência e a Caravana cumpre esse papel de nos ajudar”, conclui a jovem camponesa.

 

Por Comunicação MPA