Ministro da Transparência pede demissão

27263413002_3b817292ed_z

Fabiano Silveira foi flagrado dando orientações a Calheiros e Machado em relação à Lava Jato. Foto: Antônio Cruz -ABr

Fabiano Silveira, ex-ministro da Transparência do governo interino de Michel Temer (PMDB), pediu demissão do cargo na noite desta segunda-feira (30). A decisão foi tomada por conta de áudios vazados. Após Romero Jucá, ex-Planejamento, ele é o segundo a ser afastado por conta de denúncias que envolvem a operação Lava Jato.A organização Transparência Internacional, ainda nesta segunda, havia divulgado a suspensão de relações com o Ministério da Transparência, Fiscalização e Controle (MTFC). A entidade afirma que manterá a posição até que “uma apuração plena seja realizada e um novo ministro com experiência adequada na luta contra a corrupção seja nomeado”. O anúncio foi feito nesta segunda-feira (30).

“É decepcionante que o ministro encarregado da transparência esteja agora sob suspeita, como parte de uma operação abafa”, declarou Alejandro Salas, diretor para as Américas da Transparência Internacional. Em nota, a organização também diz que “o governo deve garantir que quaisquer membros do ministério envolvidos em corrupção ou trabalhando contra o curso das investigações sejam exonerados”.

 

Entenda

Gravações vazadas apontam que Fabiano Silveira, atual ministro, orientou como Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado, e Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro, poderiam escapar da Lava Jato. Michel Temer (PMDB), entretanto, decidiu inicialmente manter Silveira, indicado de Calheiros, na chefia da pasta.

O governo interino de Temer já havia levantado críticas por ter anunciado diversos ministros investigados na operação.

Os funcionários da pasta estão mobilizados contra a permanência de Silveira. Cerca de 300 pessoas bloquearam a entrada do MTFC nesta segunda.