Fruto de muitas lutas, camponeses no Sergipe assinam novos contratos de Moradia Camponesa

Foto: MPA

Foto: MPA

Moradia digna e de qualidade no campo tem sido uma das lutas constantes do MPA e demais movimentos sociais do campo. Fruto de muita luta dos camponeses e trabalhadores do campo, no Sergipe 9 famílias camponesas assinaram nesta sexta-feira, 27 de abril, o Contrato do empreendimento Moradia Camponesa III do Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR), por meio da Associação dos Pequenos Agricultores do Estado Sergipe – APAESE.

Nesta etapa de assinaturas de contratos estão sendo contempladas famílias camponesas da Comunidade Deserto, no município de Porto da Folha, Sergipe, berço de muitas lutas e resistência popular.

Foto: MPA

Foto: MPA

O programa de habitação rural é uma das grandes conquistas dos movimentos sociais, por meio desta, muitas famílias camponesas passam a viver no campo de forma digna e de qualidade, em muitos casos este tem sido um dos fatores fundamentais para que os camponeses e camponesas não deixassem o campo. Mesmo nesta conjuntura de retirada de direitos e retrocessos é preciso dar passos o desenvolvimento do Campesinato.

“Seguimos ressaltando a importância de se manter unidos e na luta, seja nas comunidades, nos municípios, no Estado ou em qualquer espaço, com os últimos acontecimentos é preciso entender que para novas conquistas surjam é preciso unificar a massa”, aponta Rafaela Alves, camponesa sergipana e integrante da coordenação Nacional do MPA.

O Programa Nacional de Habitação Rural foi criado pelo Governo Federal, gestão Lula e Dilma, no âmbito do Programa Minha Casa Minha Vida, por meio da Lei 11.977/2009 e tem por objetivo possibilitar aos camponeses, agricultor familiar, trabalhador rural e comunidades tradicionais o acesso à moradia digna no campo.

 

Por Comunicação MPA