Camponeses e camponesas do MPA participam da II Feira Nacional da Reforma Agrária

WhatsApp Image 2017-05-04 at 18.26.30

MPA na II Feira Nacional da Reforma Agrária. Foto: MPA

Com uma diversidade cultural, gastronômica, de produtos agroecológicos, alimentos saudáveis e de pessoas, os camponeses e camponesa do MPA participam da II Feira Nacional da Reforma Agrária, que está sendo realizada entre os dias 4 a 7 de maio, no Parque da Água Branca em São Paulo.

Organizada pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), a feira tem por objetivo mostrar a força da produção saudável, a importância da Reforma Agrária e estreitar o diálogo entre a população do campo e da cidade.

A feira apresenta uma diversidade de artesanato, produtos oriundos do Campesinato e dos acampamentos e assentamentos de todo país, mais de 250 toneladas de alimentos saudáveis. Nesta edição, além de apreciar a feira e sua programação, os camponeses e camponesas do MPA também participam com uma banca de produtos do Campesinato, onde quem visitou a feira encontrou uma diversidade de produtos da Agricultura Camponesa, entre eles, não poderia faltar a Cachaça Crioula.

WhatsApp Image 2017-05-04 at 18.26.53

Banca do MPA na feira. Foto: MPA

Essa segunda edição da feira mostra-se também como uma ferramenta de resistência pois mostra que mesmo sem terras, sem termos, ainda, conseguido fazer a Reforma Agrária, produzimos alimento e produzimos muito alimento, em grande quantidade e em grande qualidade, destaca a jovem camponesa e dirigente do MPA, Josineide Costa. Que ainda afirma:

– “Somos nós quem alimenta a 70% os trabalhadores do Brasil e na América Latina somos mais 80%, então somos nós que alimentamos cada um e cada uma. E um detalhe importante, somos nós quem produzimos os Alimentos e não comida, comida é o que está na prateleira do mercado convencional, Alimento somos nós camponeses e camponesas, trabalhadores do campo, trabalhadores da Reforma Agrária com Terra, pouca terra ou sem-terra que produzimos.”

Compartilharmos destes momentos também é fortalecer a luta, “pois como a gente diz lá no campo, a troca de experiências, seja no trabalho da roça, ou no trabalho com os alimentos, temos ainda a produção do artesanato, pois camponês também produz arte, cultura e artesanato, isso mostra o trabalho que as mulheres fazem no campo, tem também e é próprio da Agricultura Camponesa, a troca de Saberes e Sabores, das Sementes Crioulas, das Raças que não se percam as nossas raízes. Pois é tudo isso faz com que sejamos fortes, faz termos chegado até aqui, pelo trabalho de muitos camponeses e camponesas que resistem todos os dias. Então, que possamos seguir lutando, resistindo e produzindo”, finaliza a dirigente do MPA.

WhatsApp Image 2017-05-04 at 15.50.05

Josineide durante o Ato político de lançamento da II Feira Nacional da Reforma Agrária, em São Paulo. Foto: MPA

A II Feira Nacional da Reforma Agrária conta ainda com uma vasta programação político-cultural, com seminários, shows, intervenções culturais, seminários e uma Praça de Alimentação com comidas típicas de cada região, contemplados pelos mais de 800 assentados, dos 23 estados e Distrito Federal.

Entre as diversas atrações, destacam-se o Seminário “Alimentação Saudável – um direito de todos e todas” recebe as palestrantes Bela Gil, Letícia Sabatela, o ex-ministro da saúde Alexandre Padilha, o ex-presidente do Uruguai, José Pepe Mujica e o coordenador do MST, João Pedro Stédile. Bem como, demais nomes já consagrados, como Emicida, Tulipa Ruiz, Targino Gondim, Tico Santa Cruz e Chico César. O Palco da Arena e o Palco Culinária da Terra também são espaços abertos a novos expoentes da música popular e independente, das batucadas do samba e do coco à moda de viola, tão popular entre os trabalhadores rurais.

Por Comunicação MPA com informações da II Feira Nacional da Reforma Agrária