Camponeses do MPA realizam 2ª Feira do Peixe da Semana Santa em Anchieta-SC

WhatsApp Image 2017-04-10 at 09.17.50

Cartaz da 2ª Feira do Peixe. Arte: MPA

Com a aproximação da Semana Santa, os camponeses e camponesas do MPA em Anchieta, Santa Catarina, realizam a 2ª Feira do Peixe da Semana Santa. O evento está sendo realizado hoje, 12/04, na Praça Municipal Orestes Gheller, onde tradicionalmente é realizado a Feira Municipal, com abertura foi as 07:30hs da amanhã, não fechou ao meio dia, e ficará aberta até as 17:30hs.

Organizado pela Cooperativa Oestebio, cooperativa do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), a Feira tem como principal objetivo conquistar ainda mais a população do nosso município, divulgar o trabalho e poder desta forma, levar até a mesa do consumidor um filé de tilápia de alta qualidade, assim como, de levar mais qualidade de vida para a mesa da população, com preço acessível e produtos de ótima qualidade.

WhatsApp Image 2017-04-12 at 16.04.19

A Feira tem sido um sucesso. Foto: MPA

“Estamos fazendo um trabalho de conscientização e comercialização, para que o consumo seja durante o ano todo, e não apenas nesta época, uma iniciativa que tem nos dado muitos frutos, com os almoços e jantares que já foram realizados, e ainda estão sendo organizados, estamos conquistando o paladar de muita gente”, destaca Juliana Draszewski, camponesa e responsável pelo Controle de Qualidade da Unidade de Beneficiamento de Pescado da Oestebio em Anchieta.

Juliana, que também faz parte do Coletivo de Mulheres do MPA no Estado, fala ainda da importância da feira, da produção e consumo de peixes: “o foco é a Soberania Alimentar e o peixe possui muitos benefícios, desde o fortalecimento dos ossos, coração, corpo desde as crianças até os idosos, por conter Ômega-3, que é natural do peixe, isso torna sua carne além de saborosa, muito saudável. Vale ressaltar também que o peixe, deve ser preferencialmente consumido assado, grelhado ou cozido, evitando as frituras”.

Para além das feiras, jantares e almoços, outra importante caminho que o pescado da Oestebio tem ganhado espaço é na Rota dos Sabores, que tem como principal caracteriza a alimentação da agricultura familiar e camponês. A Rota em Anchieta contempla uma agroindústria de laticínio com a produção de queijos, outra Agroindústria de conservas com pepinos e geleias, e o Entreposto de Pescado da Oestebio-MPA e o Horto Medicinal Comunitário, como explica Juliana:

WhatsApp Image 2017-04-10 at 12.07.29

Pratos feito a base de peixe. Foto: MPA

– “Nesse entreposto nós apresentamos um pouco do histórico de como iniciou o processo do pescado na Oestebio e do MPA, o porquê iniciou que foi para otimizar uma planta [estrutura], uma construção do Governo Federal, na época Ministério da Pesca, e de divulgar o trabalho da UBP, onde por meio de fotografias é explicado todo o processo em que o pescado passar até chegar à mesa do consumidor. Na Rota do Sabores também inclui o Horto Medicinal Comunitário que fica na UBP. Ele é sempre bem-visitado porque as pessoas tem um interesse bem grande com relação a medicina alternativa, mesmo ainda em construção, o horto tem chamando muito a atenção dos visitante. O almoço que é servido em seguida as visitas da UBP e do Horto, é sempre a base de peixe, seja ao file ou bolinho, preparados frito, assado e cozido. A cada visita a gente procura colocar um prato diferente, para ver a apreciação do público”.

A construção da Feira, a participação na Rota de Sabores, os jantares e afins, são muito importantes, “eu diria de extrema importância, por ser um produto diferenciado, de alta qualidade, um produto que hoje ainda não se tem o habito de consumo dele da forma como deveria ser, pelo menos 2 vezes por semana, outra coisa é a forma como ele é preparado também é importante, indicando muito o peixe grelhado, assado, cozido”, destaca Juliana. A procura e aceitação tem sido muito boa, tanto que tem sido realizadas almoço ao ar livre pelo Ecoturismo, para além da Rota, assim como os pedidos para a realização de eventos como estes, terem aumentado muito, conta ela.

A Feira nasce com o propósito de levar para a mesa do consumidor o pescado com um peço acessível. “Hoje temos a vendo o filé de tilápia, carpa e a isca que é feita a partir do peixe. Temos buscado atingir públicos diferente, de forma mais branda, explicando o porquê do consumo de peixe e seus benefícios, mas também quebrando uma barreira imposta, também religião, de que se consuma o peixe só na quaresma, claro que essa semana é o forte do consumo, mas estamos quebrando essa regra imposta e as pessoas tem se somado a essa ideia, de consumir peixe para além da Semana Santa”, conclui Juliana.

Por Comunicação MPA