Arte Circense no Trabalho de Base no Sertão Sergipano

A Arte Circense na construção do Mutirão da Esperança Camponesa. Foto: MPA

A Arte Circense na construção do Mutirão da Esperança Camponesa. Foto: MPA

A arte circense na agitação e propaganda para fomentar o trabalho de base e a luta dos trabalhadores e trabalhadoras por direitos sociais, contra as reformas.

É o que aconteceu nos últimos dias 13 e 14 de maio por meio da Oficina de Introdução às Técnicas Circenses, direcionadas ao Malabarismo e Palhaçaria, na Associação de Mulheres Resgatando sua História, povoado Lagoa da Volta, município de Porto da Folha-SE.

A oficina teve por objetivo instrumentalizar a militância do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), especialmente a juventude envolvida na Caravana Nacional de Agitação e Propaganda de passagem por Sergipe, além de jovens do povoado, na utilização da arte do circo no trabalho de base, especialmente neste momento político marcado pela subtração dos direitos das trabalhadoras e dos trabalhadores do campo e das cidades.

A oficina proporcionou aos jovens camponeses novas técnicas. Foto: MPA

A oficina proporcionou aos jovens camponeses novas técnicas. Foto: MPA

A atividade foi orientada pelos artistas cênicos Eden Brisio e Marly, ambos da capital Aracaju, que foram convidados pelo MPA em Sergipe para realização desse momento.

A programação dos dias foi dividida em blocos, reunindo exercícios e técnicas de palhaçaria e de confecção de materiais, além de exposições sobre a história do surgimento das máscaras, sempre focalizados na ação militante.

O momento de formação tem se mostrado de grande importância política, especialmente no contexto de enfrentamento às reformas propostas pelo governo golpista e que encontram reação a partir do Mutirão da Esperança Camponesa que, em Sergipe, está em pleno vapor.

Sobre a experiência de facilitação com a juventude, Éden Brisio destaca, “estou muito satisfeito em vim dar essas oficinas, descobrir muitos talentos e tenho certeza que esse povo ira conseguir transmitir e multiplicar. As técnicas irar servir como ferramenta educativa e pedagógica, através delas levando cultura e arte para as pessoas que ainda não tem acesso”.

#PorNenhumDireitoaMenos

Por Comunicação MPA