Aliança entre camponeses e petroleiros leva alimentos saudáveis para trabalhadores urbanos na capital gaúcha

Além dos camponeses e petroleiros, passaram pela feira moradores da região, trabalhadores da saúde e lideranças políticas. Foto: MPA

Além dos camponeses e petroleiros, passaram pela feira moradores da região, trabalhadores da saúde e lideranças políticas. Foto: MPA

Fruto da Aliança Camponesa e Operária entre camponeses, camponesas do MPA e petroleiros, petroleiras do Sindipetro-RS, a partir desta quarta-feira, 17/05, os trabalhadores da capital gaúcha, Porto Alegre, contam com a Feira da Agricultura Camponesa que leva à mesa dos trabalhadores alimentos saudáveis, agroecológicos e vindo diretamente da roça.

Com uma diversidade de alimentos camponeses e camponesa do MPA expuseram e comercializaram mais de 60 produtos diferentes, desde hortaliças e frutas orgânicas, derivados de leites, produtos de origem animal, pães, bolos, bolachas, mel, frutas in natura e desidratadas, balas de frutas, cervejas artesanais, sucos e massas frescas.

A feira afirma a aliança entre os trabalhadores do campo e da cidade. Foto: MPA

A feira afirma a aliança entre os trabalhadores do campo e da cidade. Foto: MPA

Segundo os organizadores, o objetivo é levar a aliança dos trabalhadores camponeses e operários na construção da Soberania Alimentar, com a comercialização de alimentos saudáveis, baseado na produção agroecológica e orgânica, além da geração de renda para a qualidade de vida das famílias do campo.

“Para nós do MPA a Feira da Agricultura Camponesa em Porto Alegre tem uma importância muito grande em função da definição que tiramos em nosso Congresso e São Bernardo do Campo-SP em 2015, de construir feiras agroecologias nos grandes centros e onde temos base organizada. Neste espaço tem uma grande circulação de pessoas e faz parte da estratégia da Aliança Camponesa e Operária que temos construído juntos com os petroleiros tanto a nível nacional como local. Para os camponeses é uma alternativa de renda para os que já produzem de forma agroecológica e para o que estão em transição para a Agroecologia”, explica Maister Silva, dirigente do MPA.

Mais de 60 tipos de produtos foi disponibilizado na Feira da Agricultura Camponesa. Foto: MPA

Mais de 60 tipos de produtos foi disponibilizado na Feira da Agricultura Camponesa. Foto: MPA

Fernando Maia, presidente do Sindipetrp-RS, afirma: “esse é um trabalho que a gente vem fazendo já tem um tempo com relação a Aliança Camponesa e Operária e nessa construção vimos a necessidade estreitar mais as relações do Movimento Sindical Operário com os camponeses”.

Maister aponta que “essa é a maneira que encontramos para encurtar o caminho entre o produtor e o consumidor faz a parte de uma luta saudável que temos travado contra o sistema imperialista da produção de alimentos que as grandes empresas que dominam as cadeiras da produção de alimentos, insumos até a comercialização. É uma luta que o campesinato vem travando contra a hegemonia das grandes empresas do setor alimentício”. O que vem dando bons resultados, tanto que durante a inauguração da feira, surgiu outras demandas de construir a feira em outros espaços de Porto Alegre e região, completa ele.

Sindipetro-RS. Foto: MPA

Sindipetro-RS. Foto: MPA

É importante destacar que são os camponeses os responsáveis por 70% dos alimentos consumidos em todo o país, segundo dados de 2015 apresentado pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário. Sendo assim, a feira busca valorizar e fortalecer a resistência do Campesinato.

A feira da Agricultura Camponesa foi inaugurada nessa quarta-feira, 17, mas será realizada todas as quartas-feiras na sede do Sindicato dos Petroleiros, Sindipetro-RS, Rua General Lima e Silva, 818, das 10h30min às 18h30min.

Por Comunicação MPA