22 de agosto: Dia de Solidariedade Internacional à Venezuela

Rio de Janeiro. Foto: MPA

Rio de Janeiro. Foto: MPA

Nesta terça-feira, 22 de agosto, diversos movimentos sociais e populares nacionais e internacionais realizam atos em Solidariedade à Venezuela e em repúdio ao Governo estado-unidense de Donald Trump.

No Brasil, as organizações que constroem a Frente Brasil Popular, entre elas o MPA, se somaram a essa mobilização de solidariedade. Com ações articuladas e simultâneas também foram entregues uma Carta Pública como manifestações dirigida ao governo dos Estados Unidos, na qual condenam a ingerência do país em assuntos internos da Venezuela.

Rio de Janeiro. Foto: MPA

Rio de Janeiro. Foto: MPA

As manifestações foram desenvolvidas diante da ofensiva imperialista para com a com a República Bolivariana da Venezuela e a tentativa de desestabilização política do país. Em especial, após o processo de Instalação da Assembleia Constituinte, legitimada por mais de 8 milhões de eleitores, por essa razão, torna-se urgente a solidariedade internacional para com o povo venezuelano e a Revolução Bolivariana.

Como destaca a presidenta do Conselho Mundial pela Paz, Socorro Gomez, uma das organizações que somou-se a jornada de solidariedade. “Estes ato em defensa da Paz na Venezuela é de irrestrita solidariedade com o povo e governo bolivariano, em defensa de sua Constituinte, para garantir a paz e sua autodeterminação”, declarou ela ao Brasil de Fato.

Ato na Embaixada da Venezuela em Brasília. Foto: Humberto Farias/MPA

Ato na Embaixada da Venezuela em Brasília. Foto: Humberto Farias/MPA

A Revolução Bolivariana é referência mundial e para os camponeses e camponesas do MPA, segundo o jovem camponês e dirigente do Movimento, Bruno Pilon: “É muito difícil falar da Venezuela pelos avanços e tudo pelo que ela representa para a gente, mas é fácil dar um exemplo um exemplo do que ela significa para nós, e para nós a Venezuela é semente. É semente porquê dentro dela tem uma capacidade enorme de se transformar em árvore, tendo água, luz, tendo terra, e, é isso que a Revolução Bolivariana fez, ela transformou as sementes em árvores, com solo fértil e fecundo. E mais, as sementes são algo que nunca morre, elas sempre estão renascendo assim como Hugo Chaves continua renascendo em cada ato de rebeldia”. Afirma Bruno ao entregar, de forma simbólica, algumas sementes ao representante da Embaixada da Venezuela no Brasil.

Muro da Embaixada dos Estados Unidos em Brasília. Foto: Divulgação

Muro da Embaixada dos Estados Unidos em Brasília. Foto: Divulgação

É importante que se diga, que a Revolução Bolivariana na Venezuela é referencial mundial por entregar a seu povo as descrições de que rumo seu país deve seguir, do que fazer com seus recursos naturais, como tem-se dito, a Venezuela é o Coração da América, e, é por essa razão que o imperialismo insiste em atacar.

Por Comunicação MPA